Por terra e mar... Eh! Guaiá.

Olá amigos!

A Circulação do espetáculo "Guaiá de todos nós" pelo PROAC 08/2017 esta a todo vapor.

Iniciamos a andança no dia 12/05, onde navegamos até a Comunidade do Ariri na cidade de Cananéia - SP.

A Comunidade do Ariri é uma Vila de Pescadores que fica perto da Ilha do Cardoso. Para chegar na Vila o jeito mais fácil é via barco, um trajeto de aproximadamente 1h30min.

Assim foi, viajamos até Cananéia bem cedinho e, chegando lá, fomos até o pier para embarcar todas nossas coisas num pequeno barquinho.

Um trabalho de formiguinha, sobe e desce pelas rampas do pier com cenário, som e instrumentos.

Com o nosso material já no pier, percebemos que "o barquinho" realmente era bem pequeno e não caberia tudo, então, levamos algumas coisas no barco e um dos carros teve que ir por uma estrada de terra bem complicada, num trajeto de mais de 2hs no meio da mata.

Depois de tudo resolvido saímos rumo à Ariri. O trajeto é encantador, em meio a canais, braços de mar e mangues a paisagem é deslumbrante. Encontramos no caminho vários Golfinhos e fomos agraciados por uma revoada de pássaros Guará.

Chegando em Ariri começamos a montagem e percebemos que algo estava errado. O material de divulgação que havia sido enviado para a Prefeitura de Cananéia não estava em nenhum lugar. Conversando com os moradores descobrimos que a divulgação não havia sido feita, pois bem, não pensamos duas vezes... Saímos pela comunidade com panfletos em mãos e fomos convidando um por um.

O resultado foi um público bem pequeno, cerca de 25 pessoas. Mas que público!

Quem parou pra ver se sentiu a vontade e participou do começo ao fim, rindo, dançando e até falando com os atores em cena, estavam se sentindo em casa.

Segue algumas fotos pelo olhar de Higaro Rosales.

No fim das contas, ficamos um pouco chateados pela falta de público devido a falha na divulgação, mas saímos de lá com a alma lavada. Levar um espetáculo para uma comunidade tão isolada é algo que nos preenche enquanto artistas. Acreditamos que esse é o papel dos prêmios de incentivo, levar a cultura onde ela, dificilmente, chegaria.

Pretendemos voltar na Comunidade algum dia com outro espetáculo, mas na próxima vez vamos pessoalmente fazer todo o trabalho de divulgação, medida que já tomamos nas demais apresentações do projeto, depois desse contra-tempo.

Ainda não acabou não.

Depois de terminar tudo ainda teve muita aventura!

Onde apresentamos não tinha iluminação pública e aqui no litoral, nessa época do ano, anoitece muito cedo, por volta das 17h30 já esta praticamente noite.

Tivemos que desmontar tudo no escuro e enfrentar os famosos mosquitos borrachudos.

Conseguimos desmontar e carregamos o barco e o carro. O barco foi no escuro sem iluminação nenhuma, confesso que deu um certo medo. Já o carro foi no meio da mata sem nenhuma alma viva pelo caminho.

Mas no fim das contas, deu tudo certo e além de levar o teatro para essa Comunidade tão necessitada desse tipo de ação, ainda ganhamos essa história pra contar!

Em breve tem mais um relato das nossas andanças.

por Cristiano Russo.

Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • Facebook Basic Square

© 2015 by Cia Burucutu